Ecologia

A palavra "ecologia" deriva do grego oikos, com o sentido de "casa", e logos, que significa "estudo". Assim, o estudo do "ambiente da casa" inclui todos os organismos contidos nela e todos os processos funcionais que a tornam habitável. Literalmente, então, a ecologia é o estudo do "lugar onde se vive", com ênfase sobre "a totalidade ou padrão de relações entre os organismos e o seu ambiente", citando uma das definições do Webster's Unabridged Dictionary.

Em relação a hierarquia e os níveis de organização, em que hierarquia significa um "arranjo numa série graduada" (Webster's Unabridged Dictionary) temos o termo população que trata dos grupos de indivíduos de um tipo qulaquer de organismo, temos a comunidade, que inclui todas as populações que ocupam uma dada área. A comunidade e o ambiente não-vivo funcionam juntos como um sistema ecológico ou ecossistema. Biocenose e biogeocenose (o que significa literalmente vida e terra funcionando juntos) termos frequentemente usados na literatura européia e russa, equivalem aproximadamente a comunidade e ecossistema, respectivamente.

Bioma é um termo conveniente, largamente usado, para denominar um grande biossistema regional ou subcontinental caracterizado por um tipo principal de vegetação ou outro aspecto identificador da paisagem, como, por exemplo, o bioma da floresta decídua temperada.

O maior sistema biológico e o que mais se aproxima da auto-suficiência muitas vezes se denomina biosfera ou ecosfera, a qual inclui todos os organismos vivos da Terra que interagem com o ambiente físico como um todo para manter um sistema de estado contínuo, intermediário no fluxo de energia entre a entrada de energia de origem solar e o dissipador térmico do espaço.

Estrutura trófica

Produtores: organismos autotróficos, ex: plantas verdes;

Consumidores: organismos heterotróficos, ex: animais que se alimentam de outros ou de matéria orgânica particulada;

Decompositores: organismos heterotróficos, ex: bactérias e fungos, que se alimentam degradando tecidos mortos ou absorvendo matéria de plantas ou outros organismos. 

Os três componentes vivos (produtores, fagótrofos e saprótrofos) podem ser considerados os três reinos funcionais da natureza, pois se baseiam no tipo de nutrição e na fonte de energia utilizados. No arranjo de filos, seguindo Whittaker (1969), numa "árvore genealógica", todos três tipos de nutrição encontram-se entre os Monera e os Protista, enquanto que as três ramificações superiores, "plantas", "fungos" e "animais" estão especializados como "produtores", "absorvedores" (saprótrofos) e "ingestores" (fagótrofos), respectivamente. 

O fluxo de energia em relação a ecossistemas ocorre em um só sentido.

As pirâmides ecológicas podem ser de três tipos gerais:

A pirâmide de números, na qual se representa o número de organismos individuais;

A pirâmide de biomassa, baseada no peso seco total, no valor calórico ou em outra medida da quantidade total de material vivo;

A pirâmide de energia, na qual se mostra o fluxo energético e\ou a produtividade em níveis tróficos sucessivos. 

Referências bibliográficas

ODUM, Eugene Pleasants. Ecologia. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1988.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A reforma mais urgente e necessária para o país

Vandalismo, ação e reação

Diferenças entre a célula animal e a célula vegetal