Pular para o conteúdo principal

Diferenças entre a célula animal e a célula vegetal

A célula é a unidade fundamental que constitui os seres vivos. Sabemos que tanto os animais quanto os vegetais possuem células eucarióticas, estas as células mais complexas.

A membrana celular de todos os tipos de células tem composição química semelhante. Seus principais componentes são fosfolipídios e proteínas, diz-se que ela é lipoproteica. Sua principal função é separar o meio extracelular do intracelular, controlando tudo o que entra e o que sai da célula. 

Nos vegetais, a célula apresenta, além da membrana celular, a parede celular, que a reveste externamente. Formada principalmente por celulose, essa parede celular garante maior resistência à célula vegetal, evitando a ruptura pela entrada de água. Além disso, ela é responsável por dar tamanho e forma à célula vegetal e proteger contra a entrada de patógenos.

No citoplasma, algumas organelas são comuns às células animais e vegetais.

- ribossomos - relacionados com a síntese de proteínas;
- retículo endoplasmático - relaciona-se com a função de transporte de substâncias. Pode ser classificado em dois tipos distintos:
- retículo endoplasmático liso ou agranular - ocorre a síntese de ácidos graxos e de fosfolipídios;
- retículo endoplasmático rugoso ou granular - tem como principal função fabricar proteínas, que são sintetizadas nos ribossomos aderidos a suas membranas.
- complexo de golgi - é um local onde substâncias são transformadas, empacotadas e finalmente remetidas para outras regiões da célula ou para o meio externo. O complexo de golgi desempenha papel fundamental na secreção celular, ou seja, na eliminação de substâncias úteis ao organismo.
ro de armazenamento, transformação, empacotamento e remessa de substâncias na célula, o complexo de golgi é responsável pela secreção celular.
- peroxissomos - bolsas membranosas que contêm alguns tipos de enzimas digestivas, semelhantes aos lisossomos, como a catalase, que transforma o H2O2 (água oxigenada, formada na degradação dos aminoácidos e das gorduras) em H2O (água) e O2 (oxigênio), e outras, em menor quantidade,   que degradam gorduras e aminoácidos. Além disso, os peroxissomos também atuam no processo de desintoxicação das células. Os tipos de enzimas presentes nos peroxissomos sugerem que, além da digestão, eles participem da desintoxicação da célula. O peróxido de hidrogênio, que se forma normalmente durante o metabolismo celular, é tóxico e deve ser rapidamente eliminado.
- mitocôndrias - relacionadas com a respiração celular.

Os lisossomos são bolsas membranosas com enzimas digestivas presentes em praticamente todas as células eucarióticas. Atuam na digestão intracelular, tecnicamente são exclusivos das células animais.

Os centríolos estão presentes na maioria das células eucarióticas, exceto nas  células de plantas angiospermas e da maioria das gimnospermas.

Os plastos são organelas exclusivas das células vegetais. Os plastos podem ser separados em duas categorias, os cromoplastos (do grego chromos, cor) que apresentam pigmentos e os leucoplastos (do grego leukos, branco) que não contêm pigmentos. 

O cromoplasto mais freqüente nas plantas é o cloroplasto, cujo principal componente é a clorofila, de cor verde. Há também plastos vermelhos, os eritroplastos (do grego eritros, vermelho), que se desenvolvem, por exemplo, em frutos maduros de tomate.

Os cloroplastos apresentam duas membranas envolventes e inúmeras membranas internas, que formam pequenas bolsas discoidais e achatadas, os tilacóides (do grego thylakos, bolsa).

Os tilacóides se organizam uns sobre os outros, formando estruturas cilíndricas que lembram pilhas de moedas. Cada pilha é um granum, que significa grão, em latim (no plural, grana).

O espaço interno do cloroplasto é preenchido por um fluido viscoso denominado estroma, que corresponde à matriz das mitocôndrias, e contém, como estas, DNA, enzimas e ribossomos.

As moléculas de clorofila ficam dispostas organizadamente nas membranas dos tilacóides, de modo a captarem a luz solar com a máxima eficiência.

Os vacúolos também são organelas encontradas na célula vegetal, mas que são ausentes na célula animal. A função do vacúolo é regular as trocas de água que ocorrem na osmose.

Abaixo temos a célula animal e a célula vegetal.

http://educacao.uol.com.br/disciplinas/ciencias/celulas-conheca-a-historia-de-sua-descoberta-e-entenda-sua-estrutura.htm



http://educacao.uol.com.br/disciplinas/ciencias/celulas-conheca-a-historia-de-sua-descoberta-e-entenda-sua-estrutura.htm

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A descoberta da célula e os dois tipos fundamentais de célula

A invenção do microscópio, aparelho capaz de aumentar a imagem de pequenos objetos, possibilitou a descoberta das células, as unidades microscópicas que constituem a absoluta maioria dos seres vivos.
Acredita-se que o microscópio tenha sido inventado em 1591 por Hans Janssen e seu filho Zacharias, dois holandeses fabricantes de óculos. Tudo indica, porém, que o primeiro a fazer observações microscópicas sistemáticas de materiais biológicos foi o holandês Antonie van Leeuwenhoek (1632-1723). Os microscópios de Leeuwenhoek eram dotados de uma única lente, pequena e quase esférica.
Influenciado pelas descobertas de Leeuwenhoek, o inglês Robert Hooke (1635-1703) construiu um microscópio dotado de duas lentes nas extremidades de um tubo de metal, a ocular e a objetiva. A partir daí Hooke descobriu a célula, que é a unidade que constitui os seres vivos.
Quanto aos dois tipos fundamentais de célula, temos as células procarióticas, presentes em bactérias e cianobactérias, e as células eucari…

O seu DNA é igual ao de outros seres vivos?

Sim, as moléculas de DNA encontradas em cada uma de suas células apresentam a mesma estrutura e funcionam da mesma forma que as moléculas de DNA presentes em outros seres vivos. É isso mesmo, cachorros, gatos, laranjeiras, bananeiras e até as bactérias possuem DNA.
A diferença entre os seres vivos está no número de pares de nucleotídeos por célula de cada organismo. Os seres humanos, espécie Homo sapiens, por exemplo, possuem cerca de 3 bilhões de pares de nucleotídeos por célula, já os chimpanzés, espécie Pan troglodytes, possuem cerca de 3,3 bilhões de pares de nucleotídeos por célula.
No link abaixo, do Instituto de Biociências da USP, há um esquemas bem legais mostrando o DNA, os nucleotídeos e mais informações sobre o DNA de outros seres vivos. http://www.ib.usp.br/biologia/projetosemear/diferentes/o-seu-dna-e-igual-ao-de-outros-seres-vivos.html